...por anos era assim que eu acordava: 04 da manhã, lá estava "ieu" vivendo na minha velha e boa Ponta Negra (Natal/RN)!!

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Sobre Fernando de Noronha e Porto de Galinhas

CONHECENDO E VIVENDO NORONHA & PORTO DE GALINHAS

BAD AS IGUANA BE...


Eu tenho areia debaixo das unhas nos dedões dos pés. Fica preto assim, nos cantos. Dá pra ver, pois ainda estou de chinelos. Areia escura, de origem vulcânica, vinda de Fernando de Noronha. Não é sujeira – é um pedaço do paraíso que carrego comigo, junto de tantas lembranças...
Recife, orla de Boa Viagem. Park Hotel. Bonito e bem funcional (ótima dica dada pelo meu amigo Aldo Garcez). O lugar, bem, urbano demais. Gente demais. Carros demais, principalmente quando se chega de Noronha. A ILHA!!! Eu gostaria de morar lá. Já em Recife, moraria, ainda que a contragosto. Nada contra a cidade ou seu povo, só contra o “muita gente”. Em Curitiba, onde moro, a falta do mar sufoca minhas guelras: muita gente, nenhuma praia – péssima combinação! Preciso do mar para viver. Simples assim...
foto clássica: da praia do Sancho, morro Dois Irmãos ao fundo.
Em Noronha, quatro dias numa pousada domiciliar – Pousada da Gaúcha. Simples – simplesmente perfeita! Antes de embarcarmos pra Ilha ficamos oito dias num “big” hotel - Village Porto de Galinhas. Lugar lindo e completo, com um inesquecível café da manhã, conforto e inúmeras piscinas. Na praia do Cupe onde surfei ótimas ondas praticamente sozinho. Mesmo num Hotel grande e nada rústico, os caras mandaram bem na sua estruturação: para mim é um Hotel na categoria dos Resorts... Mas foi na Ilha de Noronha onde me senti melhor. Natureza exuberante com simplicidade. Longe do mundo artificial que nos cerca diariamente. Não adianta, sou bicho-do-mato mesmo... Digo, bicho-do-mar...
...sim, sou um bicho-do-mar...

Sendo um pouco cronológico, vamos à Porto de Galinhas:
1.      Do hotel em Porto de Galinhas: Não há o que reclamar. Tivemos um problema no primeiro dia com o colchão (feito de pedra). Ao reclamarmos, trocaram por um colchão que, além de duro estava molhado. Isso mesmo! Reclamamos, e como não dava pra resolverem naquele momento (era noite já), retornaram o colchão “ortopedrico” por aquela noite, prometendo resolver no dia seguinte. Resolveram, mas um novo colchão ainda meio empedrado... tudo bem!!!! 
uma das piscinas do Village Porto de Galinhas: muuuito bom!!!!

     Compensado pelo excelente café da manhã, espaços bacanas e confortáveis no hotel, shows de música noturnos (o cantor italiano Francesco conseguiu me fazer cantar e até dançar)... e o mensageiro, João, gente finíssima, ótimo funcionário e pessoa;
engorda-se muito no café da manhã - hotel Village Porto de Galinhas

2.      Das comidas em Porto de Galinhas: Centrinho bacana, muitos bares e restaurantes nada baratos, começo de agosto sem tanta gente perambulando por lá (dizem que na temporada fica lotado, tipo centro de Sampa); destaques: restaurante Domingos (pelo nome já vale); Gula da Praia (https://www.facebook.com/pages/Gula-da-Praia/858600180829380), lugarzinho modesto mas com bolos excelentes);  Creperia La Creperie (http://www.lacreperie-pe.com.br/), pra mim o melhor de lá; Òtimas tapiocas na Tapioca da Praia (https://pt-br.facebook.com/pages/Tapioca-Da-Praia/336202679793830); Casa da Francesinha, num mini shopping, onde você TEM que comer um sanduíche chamado “Francesinha”; Barcaxeira, famoso, mas só vá se você REALMENTE gosta de alho (os caras parecem temer vampiros). Tem ainda o La Tratoria, onde o jantar, pra mim, ficará sempre na memória (pena que já saiu do estômago).
La Tratoria: numa ruazinha transversal: procure que vale à pena!!!

         E pelas ruas do centro é só andar que você encontrará outros lugares pra todos os bolsos, dos chiques aos PFs...
no passeio à praia dos Carneiros você toma banho de argila... e cresce o nariz!!!

3.      Dos Passeios em Porto de Galinhas: Bom, conhecer o lugar é preciso rodar... Das agências por lá, seguimos umas dicas e contratamos a PIMENTEL. Os caras são bons e até certo ponto seus preços são justos. O passeio ponta-a-ponta é bacana, pois num dia o Buggy te leva pra conhecer as principais praias e termina no rio Maracaípe, onde você passeia de jangada e vê um cavalo marinho envelhecido num vidro (o jangadeiro jura que acabou de pegar). Depois tem o passeio “city tour” a Recife e Olinda (muito bom);  Passeio à praia dos Carneiros, onde o intuito é te deixar num restaurante, ao final, consumindo... Os passeios em si são legais, mas naquele esquema “gente, temos N minutos aqui... próxima parada, N minutos”, ou seja, tempo cronometrado nas paradas. Não gosto muito disso, mas sim vale à pena!
quarto no Village Porto de Galinhas...

4.      Da Ilha de Noronha: Bom, esqueça o luxo, o glamour, etc. Não tente comparar a Ilha com Paraty, Búzios ou Angra (os lugares charmosos e da moda). Ainda bem que a Ilha é diferente. Rústico mesmo, selvagem. Mesmo que você esteja cheio da grana e fique nos hotéis com diárias a partir dos 1.500,00, seu dinheiro não te evitará de andar por ruas esburacadas onde barro ou poeira estarão sempre com você.
Fernando de Noronha...

5.      Dos Passeios na Ilha: Contratamos pela agência Costa Blue (https://pt-br.facebook.com/CostaBluePasseioseReceptivo). Os caras, além de excelentes profissionais e atenderem muito bem, têm passeios excelentes e se você perguntar ainda dão dicas de restaurantes bons e baratos (digo, não tão caros). Fizemos um Ilha Tour, onde você conhece as principais partes da ilha e o melhor, aprende a se localizar e se locomover por lá. E outro passeio que fizemos de barco, pela manhã, onde pudemos ver a Ilha por barco.
tartaruga que "capturei" mergulhando na Baía dos Porcos...

          Não deixe de conhecer a praia do Sancho, por onde você chega através de uma escadaria sofrível pelo meio das pedras – vale à pena, pelo visual fora e dentro d’água. Essa praia é visitada nos dois passeios aqui citados, sendo que, de barco, você pode mergulhar na praia sem ter que descer (e depois subir) a escadaria. Fácil ver tartarugas, arraias e diversos peixes. Tubarão só vi mesmo no mergulho na praia do sueste – bem pertinho de mim. Pôr-do-sol: vários lugares escandalosamente bonitos para isto: Conceição, Forte da Vila dos Remédios, Boldró, enfim, onde você for, certamente se deliciará em fotos e visuais arrebatadores.
6.      Do Mergulho na Ilha: leve nadadeiras e máscara, pois TODAS as praias de Noronha te oferecem mergulhos de snorkel com visuais fantásticos. Repito: TODAS as praias de lá são fantásticas!!! Nós havíamos contatado mergulho de cilindro (batismo) com uma agência que muita gente havia indicado: Águas claras. Mas a sinusite me atacou pesado, deixando-me simplesmente sem conseguir respirar nem sentir gosto das comidas... Com medo de que um mergulho de 10 metros ou mais piorasse minhas condições, cancelamos o mergulho e fomos até a praia do porto.
mergulho na praia do porto: Outro mundo...

            Não imagine uma praia com um porto tradicional como você conhece – ali são aguas transparentes também, como em todas da ilha. Lá conversei com um nativo gente finíssima, o BODÃO, instrutor habilitado de mergulho. Fizemos um trato: Um batismo num mergulho ali mesmo, 4 metros na maré seca (na cheia chega a 7), e se eu sentisse dor, não pagaria nada. Em vez dos 400 reais do batismo em alto mar, o preço do cara é 250. Bom, deu tudo certo, graças aos excelentes instrutores que ele nos disponibilizou (ele mesmo não mergulhou porque também estava com problemas de sinusite...). Os caras explicaram muito bem o que e como deveríamos fazer. Testamos primeiro no raso e fomos indo... até chegarmos a um naufrágio de um navio grego, onde chegamos a passar por dentro de parte do convés dele. Então??? Fantástico... mesmo!!!! Se você nunca mergulhou e está receoso, ou gripado como eu, bem, procure o BODÃO. Você não vai se arrepender...
nós e a equipe do Bodão (o de boné)... Muito bacana!!!

7.      Da Ilha em si – considerações finais: Ou você é um dos milhares de turistas que chegando lá gasta os tubos nas taxas de preservação e em passeios, mais ainda nos preços absurdos das coisas  e depois vai embora (envolto numa bolha sem saber o que acontece), ou você se informa. Não nos sites de dicas de viagem, mas conversando com os locais. Ande de ônibus por lá (3 reais e bem fácil de se locomover). Quando estiver na praia, pare e converse com os nativos sobre a taxa de preservação. Questione do porquê das ruas estarem todas esburacadas; pergunte sobre as máquinas escavadeiras enferrujando (doação do Governo Federal), paradas e sem uso.
Flávio, recepcionista da Pousada Gaúcha e responsável pelo que aprendi DE VERDADE sobre a Ilha

          Questione aos motoristas de taxi sobre o novo “dono-da-ilha”:  Eike Batista que ganhou a licitação para a construção dos decks nas praias do Sancho e Sueste (praias que cobram entrada para sua visitação), mas que tal dinheiro não é revertido para sua manutenção ou para a população local. O que o Governo está fazendo com a Ilha? Sugando seus recursos até a ultima gota. Gerando empregos aos seus protegidos para que eles nada façam para melhorar o local. Permitindo que alguém de fora arrende várias pousadas por lá para assim obter permissões e facilidades que não são dadas aos nativos em troca de dinheiro... Conheça mais sobre os problemas da Ilha, interesse-se, divulgue isso, mas acima de tudo, cumprimente os locais sempre que passar por eles. Lembre-se: eles estavam lá muito antes de você saber que Noronha existia. Então você entra na Ilha, invade seu local, lota suas praias, suja suas ruas e a dinheirama que deixa lá não ajuda a eles – esse dinheiro vai para algum investidor que vê a cor esmeralda da natureza de como uma simples pedra preciosa...
             Dois vídeos: eu mergulhando na praia do Porto 
video

       Áudio (o vídeo não está legal) com uma menina de uma escola cantando o Hino de Noronha: Sim, estivemos lá no dia do aniversário da Ilha (512 anos), mas quem ganhou o presente fomos nós. Parabéns Fernando de Noronha. Desejo que consigas sobreviver a todos os que te usurpam!


VIDA LONGA A FERNANDO DE NORONHA!!!
video